segunda-feira, fevereiro 28, 2005

 

Barém: preso moderador de fórum online

Informados por nosso membro Chan'ad, CPB denuncia a prisão de Ali Abdulemam no Barém. Ele foi detido para averiguações no último domingo (27/02) , e pode ser acusado de cinco crimes, entre eles o de difamar o rei.

Ali Abdulemam é moderador do fórum Bahrainonline, um dos mais populares do páis. O fórum promove debates sobre política, questões sociais e religiosas, mas de maneira respeitosa.

No Barém, uma lei de imprensa de 2002, pune com penas de prisão de até cinco anos quem proferir ofensas à lei islâmica, à unidade dos povos e à pessoa do rei," De acordo com Montadayat Al-Bahrain, via Bahraini Blog, ele foi preso pela acusação de "difamar o rei."

O BahrainOnline já foi bloqueado algumas vezes, a última em janeiro último. "Aprisionar alguém pelo seu trabalho jornalístico ou por incluir um artigo na Internet não pode ser aceitável em nenhuma circunstância", afirmou a organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) em uma carta já encaminhada ao ministro da informação do Barém, Muhammad Abdul Ghaffar. "Este incidente demonstra que a lei da imprensa de novembro de 2002 necessita de uma reforma", acrescentou a RSF.

sábado, fevereiro 26, 2005

 

Internet sob vigilância

Veja o levantamento feito pela organização Repórteres Sem Fronteiras, sobre a censura de blogs no Irã, em 2004. O trabalho intitulado "Internet sob Vigilância" traz, também, um relato sobre a situação em outros países que censuram e encarceram os bloggers. Clique aqui e leia.

 

Irã: outro blogger foi condenado

O Comitê para Proteção dos Bloggers e a organização Repórteres Sem Fronteiras denunciam a condenação de Mohamad Reza Nasab Abdolahi, no Irã. Ele foi condenado a seis meses de prisão e terá que pagar uma multa equivalente a 85 euros. A acusação é de que ele insultou os líderes do país e fez propaganda contra-revolucionária. Abdolahi é editor do site http://www.iranreform.persianblog.com/ .

As organizações de defesa da liberdade de expressão pedem que todos os bloggers do mundo "espalhem a notícia sobre a onda de repressão no Irã". Esta semama, o jornalista Arash Sigarchi foi condenado a 14 anos de prisão por acusações semelhantes.

Abdolahi é um militante dos direitos humanos e editor do jornal estudantil Noghteh Sare Khat. Entre os "crimes" que foi acusado de cometer, está o de ser correspondente de emissoras de rádio estrangeiras.
 

Irã: jornalista condenado a 14 anos de prisão

O jornalista Arash Sigarchi foi condenado a 14 anos de prisão. A sentença foi proferida por um tribunal revolucionário do Irã, na última terça-feira (22/02), e desencadeou campanhas internacionais pela libertação do jornalista.

A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) pediu ao presidente daquele país, Mohammad Jatamí, para que liberte Arash. O Comitê para a Proteção dos Bloggers lançou uma campanha internacional e o caso está sendo denunciado à ONU.

O jornalista se encontra preso desde 17 de janeiro, na cadeia de Lakan, en Rashat. Arash Sigarchi, redator chefe do diário Gylan Emroz, tem há cerca de três anos um blog político e cultural, www.sigarchi.com/blog, no qual teceu algumas críticas ao regime e usou o seu blog para denunciar a prisão de outros jornalistas de internet.

Ele já havia sido preso em 27 de agosto de 2004, por publicar no blog um artigo, com foto, de uma concentração de familiares de presos executados em 1989. Desde então a polícia o estava pressionando constantemente.

"As autoridades estão tentando fazer dele um exemplo. Esta sentença severa, tem como objetivo dissuadir jornalistas e usuários de internet a se expressarem na rede e impedir a comunicação com veículos estrangeiros, jornalistas e internautas. O presidente do Irã não pode alegar que não é o responsável por esta prisão, principalmente porque Arash foi preso pelo Ministério da Inteligência, que responde diretamente ao presidente", declarou a RSF.

Dias antes de ser preso, Sigarchi deu entrevistas ao Serviço Persa da BBC e à Rádio Farda, financiada pelos Estados Unidos, provocando a ira das autoridades iranianas.

Sigarchi fo acusado de praticar uma série de crimes contra o Estado iraniano, inclusive de espionagem, insulto ao fundador da República Islâmica do Irã, aiatolá Ruhollah Khomenei, e ao atual líder supremo do país, aiatolá Ali Khamenei. "Mas, na realidade se encontra preso por suas atividades como weblogger e jornalista", denuncia a RSF.

Cerca de 20 jornalistas de internet foram presos no Irã, na atual onda de repressão. As autoridades estão combatendo a crescente popularidade dos weblogs, restringindo o acesso a grandes sites que lidam com o gênero dentro do país.

Outro blogueiro iraniano, Motjaba Saminejad, que usou o seu site para noticiar a prisão de blogueiros, também está detido.


This page is powered by Blogger. Isn't yours?